Conceito De Produtividade Pessoal

A produtividade pessoal é um tema que eu vejo tratado não com a sua devida importância, embora seja um tema muito relevante dentro da área de desenvolvimento humano e profissional.

É mais abordada nas empresas e instituições, com o intuito que estas funcionem de forma mais otimizada. Na hora de avaliar seus funcionários, leva-se esse fator em conta, que na verdade envolve muitos itens que podem passar despercebidos.

A partir da minha experiência de vida, dos meus erros e meus acertos, eu me propus a estudar e aplicar os conceitos, práticas e técnicas relacionadas à produtividade.

Este artigo é o fruto dos estudos e do trabalho e é, em sua maior parte, conceitual. No entanto, serão mostrados alguns exemplos como forma de ilustrar e até mesmo de ver como funciona na prática.

Continue lendo para aprender:

  • O conceito de produtividade pessoal;
  • Como a produtividade deve ser vista em se tratando de pessoas;
  • Quantidade versus qualidade;
  • Tempo como parâmetro de produtividade.

produtividade-pessoal

Conceito de Produtividade Pessoal

Suponhamos que uma plantação produza 1 tonelada por hectare e que outra lavoura da mesma espécie produza o dobro. A segunda é a mais produtiva.

O mesmo conceito vale também para a indústria. Digamos que uma produza 10.000 peças por dia e uma outra 7.000 peças. Neste caso, a primeira é mais produtiva.

Em se tratando de produção econômica, produtividade refere-se à quantidade produzida em um determinado espaço físico e/ou de tempo.

Quando vamos tratar de produtividade na área pessoal é necessário ter um certo cuidado com a mensuração dos resultados. O que deve ser levado em conta, na maioria dos casos, é a qualidade do que se faz e não a quantidade.

Assim, a produtividade pessoal refere-se não apenas à quantidade de trabalho feito, mas sim à forma como são executados e os resultados obtidos.

Seria muito óbvio trabalhar o dobro do tempo para ter o dobro de resultados – estratégia essa que nem sempre funciona, devido aos limites de cada um.

Muitas pessoas ainda possuem uma ideia equivocada de que para ter mais resultados é necessário ter uma alta carga de trabalho. Essa é, provavelmente, uma herança da época da Revolução Industrial, quando pessoas chegavam a trabalhar por 18 horas por dia ou até mais, e isso valia para homens, mulheres e crianças.

Estamos na era da informação e muitas coisas foram automatizadas, o que exige menos esforço braçal. Entretanto, não são todos que produzem da mesma forma, alguns conseguem realizar as tarefas dentro do prazo enquanto outros não o fazem.

Essa diferença se dá como as pessoas organizam o seu dia e gerenciam as tarefas. Nós iremos abordar depois.

Quantidade versus Qualidade

Como já foi dito, a quantidade de tarefas realizadas não é o melhor indicador para a produtividade pessoal.

Suponhamos que duas pessoas estudam preparando para um concurso público. A primeira pessoa resolve pegar pesado, deixa a vida social de lado e passa pelo menos 8 horas por dia consultando livros, pesquisando e, por vezes, deixa de dormir.

Já a segunda pessoa decide estudar o que for mais urgente, faz uma leitura mais breve das disciplinas que tem mais facilidade e não priva a vida social, tendo tempo para curtir a família e os amigos.

Em boa parte dos casos, o segundo tipo é o que se sobressai nos exames e, assim, consegue ser mais produtiva, pois consegue melhores resultados com menos esforço. Entretanto, não devemos tomar isso como uma regra geral, pois cada pessoa tem um ritmo de trabalho diferente.

Um outro exemplo é o de dois lenhadores. Um deles, mais jovem e cheio de força, pega um machado não muito bom e vai golpeando árvores. Ao fim do dia, está exausto e não conseguiu derrubar muita lenha, apesar da força.

Já o outro lenhador, com mais idade e mais experiente na profissão, passa uma parte do tempo afiando o machado, escolhe o melhor ponto para dar golpes de machado e faz mais trabalho com menos esforço que o seu colega jovem.

Reforçando mais uma vez: produtividade é obter os melhores resultados com o mínimo de esforço e utilizando-se o mínimo de recursos possíveis.

É mais indicado fazer menos tarefas que sejam de qualidade do que fazer muitas e não ter qualidade em nenhuma delas.

A seguinte frase, de Leonardo da Vinci, resume tudo:

A simplicidade é o último degrau da sofisticação.

Está gostando do artigo?

Insira seu e-mail para receber gratuitamente nossas atualizações!

A Ilusão Das Tarefas Simultâneas

Este é um ponto que muitas pessoas pensam que estão com a produtividade pessoal em alta ao realizar duas ou mais tarefas ao mesmo tempo.

Não existe ilusão maior do que esta!

Ao exercer várias atividades de forma simultânea, o cérebro não sabe para qual deve-se dar a prioridade e algo que poderia ser feito em um espaço de tempo pequeno demora muito.

É muito comum isso ocorrer com quem tem algo para fazer online, como por exemplo, redigir um blog ou postar anúncios na Internet. De repente aparece um alerta de e-mail que chegou, conversa no chat da rede social, uma nova solicitação de amizade e por aí vai. E olha que eu mencionei apenas o computador, imagine se colocasse os alertas do smartphone.

A tecnologia ajuda bastante na produtividade, mas é preciso saber usá-la a nosso favor e não contra.

produtividade-no-trabalho

Quanto menor a quantidade de atividades, maior a qualidade das mesmas e, consequentemente, maior a produtividade. O motivo? Com menos tarefas, é possível ter mais foco e estar mais atento aos detalhes que essa atividade exige.

Aqui vale a máxima: quanto menos, melhor.

A diferença entre a produtividade pessoal de cada um está na prioridade dada às tarefas, cada uma em seu horário específico.

Se você pensa em ter mais produtividade, pense primeiro na qualidade das atividades que faz e também no ganho em qualidade de vida que isso irá trazer.

Como Mensurar A Produtividade Pessoal

Analisando os resultados obtidos e os recursos utilizados, é possível saber se uma pessoa é produtiva ou não.

Os resultados vão depender do tipo de atividade: redução de medidas corporais, quilômetros percorridos em uma caminhada, quantidade de palavras escritas em um artigo, músicas aprendidas, etc.

O número de recursos empregados também é levado em conta e, dentre eles, podemos citar:

  • Tempo
  • Materiais necessários para realizar
  • Dinheiro

O tempo para a realização da tarefa também é levado em consideração. Se uma atividade pode ser realizada em uma hora, alguém que faz a mesma coisa em um tempo maior não está sendo produtivo, está deixando o tempo passar.

Quando não usado de forma correta, tem-se a impressão que faltou tempo. Na verdade, o que faltou foi a escolha de prioridades e isso afeta a produtividade pessoal.

Não existe falta de tempo. O que existe é falta de prioridades. (Tim Ferriss)

Aliás, de todos os recursos existentes, o tempo é o único que é igualmente distribuído a todas as pessoas. E sobre tempo, é um assunto que merece um artigo específico e que será publicado em breve.

Dentre os materiais utilizados podemos destacar os equipamentos que são imprescindíveis para fazer uma tarefa. Se um músico vai tocar violão, precisará de um banquinho ou cadeira para sentar (ou uma correia, caso fique em pé), partitura e, claro, do violão.

O ambiente também deve favorecer a realização da atividade e, no caso do violão, se for um ensaio o recomendado é tocar em uma sala com isolamento acústico ou com um mínimo de móveis, a fim de tirar melhor proveito da sonoridade.

Quando se existe uma demanda por recursos financeiros é preciso saber utilizá-los com cautela, evitando gastos desnecessários.

Aqui entra uma parte muito importante de todo o processo de produtividade, que é o planejamento, onde se faz uma previsão das atividades a serem realizadas para atingir um objetivo, dentro de um prazo e utilizando-se recursos da forma mais otimizada.

Voltando aos exemplos citados anteriormente, digamos que ambos estudantes foram aprovados no mesmo concurso, porém a pessoa que estudou menos conseguiu ser mais produtiva, pois se concentrou no que precisava e fez menos esforço.

Logo, utilizou menos recursos, que no caso são materiais de estudo, tempo e energia mental.

O outro exemplo também é muito interessante, pois o lenhador mais experiente usou o tempo para afiar o machado e escolher o lado correto de cortar a árvore, enquanto que o mais jovem usou a força e produziu menos.

Conclusão

A cada dia que passa mais pessoas se interessam pela produtividade pessoal, porém ainda não é um assunto que vemos com grande destaque.

Produtividade pessoal não se trata de fazer atividades de forma mecanizada, mas sim de forma consciente e que possui por trás um objetivo, visando ter mais qualidade de vida e tempo livre para se fazer o que gosta.

Para que isso seja realizado é necessário realizar o mínimo de tarefas possível, pois assim as coisas são resolvidas de forma mais efetiva, otimizando-se todos os recursos disponíveis.

E você? Já parou para pensar como está a sua produtividade pessoal? Deixe abaixo seus comentários.

Espero que este artigo seja útil para você. Nos vemos em breve!

Grande abraço e sucesso sempre!

  • Irineu Menezes

    Muito bom o texto Fábio. Ultimamente tenho tido bastante contato com leituras sobre o tema e tenhonsentido a necessidade de ter consciência plena de prioridades. Tenho uma página no Fb sobre produtividade e dicas para desenvolvimento pessoal que pretendo transformar num blog um dia. Até lá eu compartilho textos interessantes como esse seu. Obrigado.

    • Olá Irineu,

      Gratidão pelo seu comentário! Fico muito feliz que o texto esteja sendo útil para pessoas. Desenvolvimento pessoal é um assunto que gosto muito. Você pode colocar o endereço da sua fan page aqui, assim cria-se uma rede com informações que agregam.

      Seja muito bem-vindo! Grande abraço e sucesso sempre!